Volta Redonda Notícias

Falta de planejamento público causa caos em bloco que invadiu a Amaral Peixoto neste domingo

Um bloco de carnaval denominado “Bloco do Brilho”, invadiu a  Avenida Amaral Peixoto neste domingo (24) e causou um grande caos em uma das principais avenidas da cidade. O policiamento enviado para o local pelas autoridades superiores foi insuficiente, deixando agentes de segurança da Polícia Militar,  Guarda Municipal  e população em risco, devido a quantidade absurda de pessoas aglomeradas.

O local de concentração do bloco foi a rua Major Aguiar, porém, devido a quantidade de pessoas que compareceram ao evento, outras ruas do centro como a Avenida Amaral Peixoto, foram invadidas.

Segundo fontes não oficiais, a quantidade de pessoas no local ultrapassou o número de 10.000 pessoas. Uma mãe embriagada, jogada na calçada, com um um bebê de colo foi vista e chamou muito a atenção dos populares.

Até o exato momento, ainda não temos os dados de vítimas de crimes ou outros delitos, assim que chegarem, atualizamos.

 

 

“Que merda é essa?” Após bloco, jovem é assassinado no Conforto

Um bloco pré-carnaval que leva o nome de “Que merda é essa?”,  ocorreu na noite deste sábado (16), na rua 208, no Conforto e  terminou com uma morte por arma de fogo.

A prefeitura, que fazia a segurança do evento, não evitou a morte de um jovem de de 21 anos, Ericlis Marcatto.

O crime foi na Avenida Fernando Tedesco, no bairro São Lucas, testemunhas afirmam que o homicídio ocorreu após o bloco.

Nova Arena Concentrará Atividades da SMEL; Arena causa polêmica desde a inauguração

Em dezembro de 2016, no apagar das luzes, o então prefeito de Volta Redonda, Antônio Francisco Neto, inaugurou com pompa e circunstância a Arena Esportiva Nicolau Yabrudi (Seu Nula), num terreno de 30.468 metros quadrados, no bairro Voldac, em uma área próxima do centro da cidade, entre as Avenidas Nossa Senhora do Amparo e Sávio Gama. Para quem não se lembra, a obra estava inacabada, com direito a lona na fachada para esconder o esqueleto da edificação. Ao discursar, Neto agradeceu ao Governo do Estado pelos investimentos e a Indústrias Nucleares do Brasil (INB), que doou R$ 1,2 milhão para complementar as obras, entregando ao seu representante, Sérgio Salgueiro, um contrato de parceria para recebimento da verba pelo município. O plano era transformar Volta Redonda num polo olímpico da região. Coube à equipe do Instituto de Pesquisas e Planejamento Urbano (IPPU) a execução do projeto e a fiscalização da obra. A cidade se inscreveu para receber delegações estrangeiras durante as Olimpíadas e os Jogos Paraolímpicos de 2016, mas a obra, que deveria ter sido concluída em novembro de 2012, não ficou pronta a tempo.

Em 2011, em visita à cidade (com direito a show do cantor Rick Vallen), o então governador Sérgio Cabral, junto com seu coordenador de infraestrutura, Luiz Fernando Pezão, e seu secretário de obras, Hudson Braga, assinou um convênio com a prefeitura para a construção da Arena Olímpica e um protocolo de intenções do Projeto Somando Forças. Vale lembrar que os três tiveram a prisão decretada em desdobramentos da Operação Lava Jato, como a Operação Calicute, que apura crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa em diversas obras no Rio de Janeiro. A arena era um projeto da prefeitura de Volta Redonda em parceria com o Governo do Estado, por intermédio do programa Somando Forças, com investimento de aproximadamente R$ 12 milhões, sendo R$ 10 milhões verba do Estado, R$ 1 milhão do município e R$ 1 milhão por emenda parlamentar.

O deputado estadual e ex-secretário da casa civil do estado, Cristino Áureo (PSD), conseguiu articular o aporte de R$ 1 milhão para a obra que estava parada há dois anos. O custo total ficou estimado em R$ 18 milhões, com uma contrapartida de R$ 7 milhões da prefeitura e 1 R$ milhão em verba federal para equipamentos; outros R$ 2 milhões do governo federal serão usados para treinamento de pessoal e implementação de projetos. O dinheiro é saldo do plano de recuperação fiscal do estado. Não foi preciso fazer uma nova licitação, pois a mesma empresa que iniciou o projeto, a Biota Comércio, Transporte e Construções, também fez a conclusão da obra. A Secretaria Municipal de Infraestrutura e a empresa cuidaram, nos últimos meses, de corrigir os problemas e concluir o trabalho. No último sábado, dia 9 de fevereiro de 2019, a obra foi finalmente entregue à população.

A nova arena abrigará a Secretaria de Esporte e Lazer (SMEL) e concentrará as atividades implementadas na gestão do prefeito Samuca. Entre elas estão o PID (Projeto de Iniciação Desportiva), o CEM (Crescer em Movimento), que atende crianças e adolescentes de 06 a 17 anos, e o MIM (Melhor Idade em Movimento), para maiores de 50 anos. O objetivo é identificar e desenvolver jovens talentos de Volta Redonda em diferentes modalidades esportivas, proporcionar às crianças e adolescentes desenvolvimento físico, motor, cognitivo, cultural, e social por meio do esporte, reunir adultos, a partir dos 50 anos, para a prática regular de exercícios, e melhorar a qualidade de vida da população. O JEVRE (Jogos Estudantis de Volta Redonda), maior evento estudantil da região Sul Fluminense, e a Academia da Vida, escola para maiores de 60 anos da FEVRE (Fundação Educacional de Volta Redonda), com turmas do Curso Básico de Atualização, aulas de Português, Saúde, Mundo Contemporâneo, Arte e Informática, também poderão funcionar no local. A arena também trará ganhos para a saúde, já que, a exemplo do Estádio da Cidadania, irá abrigar unidades médicas. O projeto original prevê um aparelhado centro odontológico e um centro médico nas suas dependências.

A SMEL coordena e implementa políticas públicas de esporte e lazer, com foco na melhoria da qualidade de vida da população, utilizando o esporte como instrumento para o desenvolvimento físico e cultural, e promovendo ações e projetos voltados para a inicialização esportiva, como forma de inclusão social. São atividades que favorecem a socialização, a integração e o convívio familiar. A SMEL ainda oferece aulas de natação e hidroginástica no Parque Aquático Municipal, na Ilha Pequena, e promove atividades esportivas, recreativas e de lazer, muitas vezes sem custo nenhum para a prefeitura. A orientação é para que ela promova ações de lazer nesse verão, com o principal objetivo de manter ativa a população de Volta Redonda.

Nossa arena esteve com as obras paralisadas por um longo período, mas agora temos a infraestrutura necessária para o desenvolvimento do esporte olímpico. É mais fácil conseguir incentivo para o esporte com a infraestrutura à disposição. Um convênio com a Confederação Brasileira de Atletismo pode ser necessário para não deixar o lugar ocioso. A pista de atletismo deverá ser homologada pela Federação Internacional de Atletismo, o que vai possibilitar à cidade sediar competições nacionais e internacionais do calendário oficial. Além de estimular as competições interescolares, temos que pensar na formação de futuros atletas. O trabalho deve ser de formação desde a base até o alto rendimento, caso contrário, não haveria justificativa para investir num complexo esportivo.

A Arena Esportiva Seu Nula é um complexo de esportes numa área de fácil acesso para o público. Devido à sua localização privilegiada, o novo complexo será benéfico para todo o Sul Fluminense. Esperamos que não se torne mais um elefante branco.

Teto da Escola Mariana Bressan na Santa Cruz pode cair e ferir alunos

A escola Mariana Bressan , antigo Pururuca no bairro Santa Cruz está caindo, literalmente.A população pediu ao Volta Redonda Notícias uma ajuda para informar sobre o problema, o que foi imediatamente atendido. Toda a população que desejar utilizar nossos contatos, podem contactar pelo zap 24 999176564 ou email voltaredondanoticias@gmail.com.

A maior preocupação dos moradores é que algo caia e venha a ferir algum aluno.