Volta Redonda Notícias

Duas pessoas morrem carbonizadas em acidente na BR-393

Duas pessoas morreram carbonizadas na BR-393 na noite desta sexta-feira(31). O acidente foi entre um carro de passeio com placa de Volta Redonda e uma carreta com placa de São Paulo. Somente os ocupantes do carro de passeio vieram a óbito no local. O motorista da carreta saiu ileso do acidente.

A pista ficou fechada por duas horas até que a perícia fosse ao local e liberasse os corpos que seguiram para o IML de Barra do Piraí.

Um outro caminhão que estava próximo ao acidente teve parte da cabine queimada, porém o motorista nada sofreu.

Parte do talude de mina da Vale se desprende em Barão de Cocais

A mineradora Vale informou nesta manhã que uma parte do talude norte da cava da Mina de Gongo Soco, em Barão de Cocais (MG), se desprendeu durante a madrugada de hoje (31). Segundo a Defesa Civil de Minas Gerais, não há indícios de que o incidente tenha causado danos à estrutura da barragem.

Segundo o Major Marcos Pereira, da Defesa Civil estadual, o “escorregamento” de uma pequena parcela da base do talude não causou nenhuma alteração significativa na estrutura, não sendo necessário sequer acionar as sirenes de alarme. “É uma acomodação natural que, em um primeiro momento, não coloca em risco a segurança do local”, disse à Agência Brasil.

Taludes são planos de terreno inclinados, espécies de paredões que cercam a chamada cava da mina, ou seja, a escavação no terreno. O talude serve para garantir a estabilidade do terreno escavado. Sua queda pode provocar o rompimento de uma barragem, seja ao atingi-la, seja pela vibração no terreno decorrente da queda. No caso da mina de Gongo Soco, a barragem Sul Superior está a pouco mais de um quilômetro de distância do talude que ameaça ruir em breve.

Em nota, a Vale afirmou que os fragmentos do talude que se soltaram nesta madrugada se acomodaram no fundo da cava. A empresa assegurou que as primeiras avaliações indicam que o material está deslizando de forma gradual, reforçando as estimativas de que o desprendimento do paredão ocorra “sem maiores consequências”.

“A cava e a barragem Sul Superior, que fica a 1,5 km da mina, seguem com monitoramento 24 horas por dia de forma remota, com o uso de radar e estação robótica capazes de detectar movimentações milimétricas, além de sobrevoos com drone. A barragem está em nível 3 [de risco] desde 22 de março e a Zona de Autossalvamento (ZAS) já havia sido evacuada preventivamente em 8 de fevereiro”, asseguro a Vale, na nota em que garante estar prestando todas as informações às autoridades e à população de Barão de Cocais.

Documentos da própria Vale divulgado pelo Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) no último dia 16 sugeriam a possibilidade do talude da mina de Gongo Soco ceder até o sábado passado (25). O receio é de que a barragem se rompa com a queda do talude e atinja Barão de Cocais e outras cidades próximas, como Santa Bárbara e São Gonçalo do Rio Abaixo. O Rio Doce também pode ser atingido, segundo informou a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad).

No último dia 17, o diretor da Agência Nacional de Mineração (ANM), Eduardo Leão, já havia declarado que o talude de Gongo Soco certamente desmoronaria. “Isso é um fato”, disse Leão, ao anunciar a interdição e a suspensão das atividades do complexo minerário e explicar que, até que o talude ceda, apenas operações seguras para tentar recuperar a estabilidade das estruturas poderiam ser realizadas. “O que estamos fazendo agora é minimizando os riscos, evitando que pessoas transitem dentro da cava ou que sejam atingidas”, disse o diretor na ocasião.

Moradores fazem “panelaço” em protesto contra falta de água

Moradores dos bairros atingidos pela falta de água às margens da Rodovia dos Metalúrgicos fizeram um panelaço nesta quinta-feira(30) em frente ao buraco causado pela obra na Rodovia. O protesto foi em virtude da falta de água que já dura uma semana e causou um caos na dia a dia dos moradores desta região.

O Saae VR afirmou que o abastecimento foi normalizado ainda na quarta-feira, porém, na manhã desta sexta-feira(31) ainda existem muitos moradores com as torneiras secas.

A obra que até o momento só trouxe transtornos para os moradores de Volta Redonda deixou 17 bairros sem água em Volta Redonda.

Nesta segunda-feira(27) os vereadores decidiram pela não convocação do Secretário Municipal de Meio Ambiente na câmara para explicar detalhes sobre a obra. O Volta Redonda Notícias divulgou o nome de todos os vereadores que participaram da votação.

Também na noite desta quinta-feira(30), moradores de bairros como Voldac, Niterói e Retiro também questionaram sobre a falta de água.

Aos gritos de queremos água moradores protestam
Protesto começou ainda na tarde desta quinta-feira com panelaço e buzinaço.

“Obra trapalhona”: Bairros ainda estão sem água

Os problemas causados pela obra que atrapalhou a vida dos moradores dos bairros cercados pela Rodovia dos Metalúrgicos, continua na noite desta quinta-feira(30). O maior problema além do trânsito é a falta de água em bairros como Tiradentes, Roma e Vila Rica. Algumas casas já estão há uma semana sem água, outras residências que possuíam um reservatório maior, estão há cerca de quatro dias sem água.

Nas redes sociais, os moradores comentam sobre o caos pelo qual estão passando, dividindo a culpa entre a prefeitura, a empresa responsável pela obra e o SAAE-VR.

Samara Mariano A realidade é que a água chegou só pra bairro como Belvedere, Samoa, aqueles condomínios onde mora vereador pq aqui no Vila Rica a água chega sem pressão suficiente pra encher a caixa d’água. Água mirrada da torneira que vem direto da rua. Hoje meu esposo teve q encher a caixa com baldes indo até o terceiro andar pra poder dar banho descente na minha filha. Não tá caindo uma gota na caixa. Pq no Belvedere ta normal e com pressão desde a madrugada de hoje e aqui nada?

Rosilaine Neves E a conta da água? Vai ser gradativa também? Vão descontar os dias sem abastecimento??? Responde aí prefake!!

Gracimar Oliveira Tinha que haver a possibilidade de um processo coletivo,com direito a indenização por transtornos.Tem as pessoas que não podem trabalhar por conta da falta de água e aí como fica a situação?

Ricardo Dias Tem bastante ar na tubulação para o SAAE cobrar de nós, OTÁRIOS, este mês…
Sem contar a água das tubulações que romperam, que alguém terá de pagar (os OTÁRIOS de novo)…

Gerson DCastro Gradativo, junho é para o vista verde. Julho , Samoa. Agosto, Belvedere . Setembro vila rica. Até 2022 estará tudo tranquilo os moradores não podem esperar um pouquinho ? Povo impaciente .

Elisangela Freitas O triste é q a conta chega alta de mais. Mais a água nem pressão pra cair tá tendo. Até pra molhar as plantas está difícil. Não sei oq anda acontecendo,o rio Paraíba está cheio,não tem necessidade da água estar sem pressão ou nem caindo.

Augusto Nascimento Isso ai o Sr prefeito não resolve ne

Solange Silveira Kkkk. Poe conta gota. Nem barulinho de agua

Caio Duda Aguiar Mentira descabida!!! 6 dias sem água! Aqui no Vila Rica Tiradentes não chegou!!!😡😡

Andre Bertuci aqui em casa na rua 20 ate agora nenhuma gota se quer passou pelo hidrômetro

Valeria Goncalves Devem estar fazendo a distribuição de água com conta gotas! Tá difícil! Tá osso , sexto dia sem água, tomara que chegue misturada com Rivotril!

Fafa Pereira Tem muitas ruas sem água ainda…. descaso com o povo!

Alexandra Delgado Como um prefeito e vereadores permitem que uma obra particular faça isso prejudicando milhares de pessoas ?? Que vergonha essa gestão e esses vereadores aliados ao prefeito

Saae-VR afirma que abastecimento de bairros afetados por obra é gradativo

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Volta Redonda(SAAE-VR), afirmou nesta quinta-feira(30), que o abastecimento dos bairros afetados pela polêmica obra na Rodovia dos Metalúrgicos é gradativo. Portanto, segundo informações da direção da autarquia, o abastecimento já está normalizado e encherá as caixas gradativamente durante o dia de hoje.

– Os moradores ficaram um tempo sem água e a medida que a caixa vai enchendo, aproveitam para serviços de limpeza, enfim, consumindo mais água, outro fator, que acaba refletindo no abastecimento das casas nas localidades mais altas – ressaltou  José Geraldo Santos, o Zeca,diretor do SAAE-VR.

Uma empresa particular que está realizando obras de drenagem na rodovia dos metalúrgicos rompeu uma adutora responsável por abastecer todo Complexo Roma, afetando os seguintes bairros: Roma 1, 2, Condado Ypê, Parque das Garças, Rio das Flores, Jardim Belvedere, Casa de Pedra e outros.

A obra causou polêmica e somente esta semana foi material para dezenas de notícias.