Volta Redonda Notícias

Prefeitura vai terceirizar administração do Hospital São João Batista

Recentemente a Prefeitura Municipal de Volta Redonda divulgou em diversos jornais um Chamamento Público para contratação de Organização Social(OS) para administrar o Hospital São João Batista.

O vereador Paulinho do Raio X chegou a ir às Redes Sociais criticar a administração municipal pela terceirização na administração do principal hospital da cidade.

Recentemente o HSJB foi alvo de centenas de denúncias de descaso em filas para cirurgias das mais diversas modalidades. O vereador ainda critica a propaganda recente na TV(em horário nobre, um dos mais caros) que muitos afirmam se tratar de “propaganda enganosa” por mostrar uma realidade muito diversa da que acontece na cidade do aço.

Desde Dezembro de 2018 a OS Mahatma Gandhi administra o Hospital Munir Rafful(Hospital do Retiro) é alvo de diversas reclamações do moradores e também alvo de denúncia onde a Superintendente da OS contratou o restaurante da própria mãe para alimentar os funcionários do hospital, ignorando a legislação que proíbe tal contratação.

TCE-RJ investiga Prefeitura de Volta Redonda por pagamento extra de mais de R$ 700 mil em contrato

Foto: Ilustração

Descrito no processo como sendo uma REPRESENTAÇÃO EM FACE DE POSSÍVEIS IRREGULARIDADES COMETIDAS PELO PREFEITO DE VOLTA REDONDA REFERENTE A CONTRATAÇÃO EMERGENCIAL NO ÂMBITO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE, o Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro(TCE-RJ), está investigando pagamentos possivelmente irregulares para duas empresas que prestaram serviço para a Secretaria Municipal de Saúde. São elas:  Conttato Consultoria e Gestão Empresarial EIRELI e Rio Zin Ambiental Serviços.

Segundo o Tribunal de Contas, a empresa Conttato Consultoria e Gestão Empresarial EIRELI recebeu a mais do município de Volta Redonda R$ 735.972,54 dividido em seis pagamentos feitos através de um termo de confissão de dívida.

“Deve-se ressaltar que foram firmados diversos Termos de Reconhecimento de Dívida para pagamento dos serviços prestados à empresa Conttato Consultoria e Gestão Empresarial EIRELI, conforme informado no relatório de auditoria, face a ausência de formalização da contratação por contrato. Entretanto, realizamos consulta aos sistemas desta Corte e constatamos que os termos de reconhecimento de dívidas não foram encaminhados ao TCE-RJ”.

A prática de pagar contratos através de Termo de Reconhecimento de Dívida é muito utilizada por quem deseja fraudar contratos públicos, o que chamou a atenção e motivou a investigação pelo TCE-RJ.

O prefeito de Volta Redonda Samuca Silva apresentou defesa no processo número 212.944-1/18, porém o tribunal não acolheu integralmente a defesa do gestor municipal. Na defesa o prefeito afirma que não houve sobrepreço. Ele também afirmou que existe uma sindicância para apurar as possíveis irregularidades na gestão de Marcia Cury na Secretaria Municipal de Saúde. Na mesma sindicância também está o ex-procurador do município Fábio Fernandes da Silva(exonerado) e uma outra funcionária.

Cabe ressaltar aqui que o fato acima descrito, se não for completamente esclarecido, pode vir a se tornar uma ação penal promovida pelo Ministério Público Estadual.

A fonte da informação está abaixo:

Contratos suspeitos da Prefeitura de Volta Redonda empenharam R$ 17,9 milhões

Investigado pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro(MPE-RJ) e pelo Tribunal de Contas do Estado(TCE-RJ), contratos efetuados pela Secretaria Municipal de Saúde com a Rio Zin Ambiental e Conttato, durante os anos de 2017 e 2018, empenharam dos cofres públicos um total de 17,9 milhões de reais.

Nesta segunda-feira(22), o vereador Jari, divulgou um requerimento onde a Câmara Municipal pede explicações sobre as investigações para o prefeito Samuca Silva. O prefeito até o momento não respondeu à Câmara Municipal de Volta Redonda o que deixou o vereador impedido de exercer seu papel.

“Recentemente nós descobrimos que o Tribunal de Contas do Estado e o Ministério Público investigam investigam serviços prestados na Secretaria Municipal de Saúde por duas empresas: Rio Zin Ambiental e Conttato.

Fizemos um requerimento cobrando do senhor prefeito, Samuca Silva, informações que nos permitam acompanhar de perto estas investigações. O problema é que o Governo Municipal não respondeu o requerimento com todas as informações solicitadas. Desta forma, nosso trabalho de vereador fica prejudicado.

As denúncias são graves, pois indicam direcionamento a favor das empresas, sobre preços e que os serviços foram prestados, mas SEM CONTRATOS.

Vamos voltar a cobrar, através da Câmara Municipal, a remessa de tudo que foi pedido. Queremos saber quem são os responsáveis, qual o dano aos cofres públicos e o que será feito para reparar a perda.” Afirmou o vereador em sua Rede Social.

Investigado pelo MP e pelo TCE, Samuca Silva ignora requerimento da Câmara Municipal

O vereador Jari publicou em sua rede social um apelo em forma de cobrança para que o prefeito municipal Samuca Silva, atenda a um requerimento da câmara de vereadores que visa pedir explicações e informações que permitam que a câmara acompanhe as investigações que estão sendo feitas pelo Ministério Público e pelo Tribunal de Contas da União.

As investigações se referem a contratos entre a Secretaria Municipal de Saúde e duas empresas que prestaram serviço para a pasta, são elas: Rio Zin Ambiental e Conttato

O vereador ainda afirmou que a omissão pelo prefeito das informações prejudicam o trabalho de vereador.

Guedes confirma que não haverá concursos públicos nos próximos anos

O ministro da Economia, Paulo Guedes, fala na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, sobre os impactos econômicos e financeiros da Nova Previdência.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou hoje (4) que o governo optou por não promover concursos públicos no Poder Executivo nos próximos anos. Segundo Guedes, cerca de 40% do funcionalismo federal atual deve aposentar-se em até cinco anos, o que possibilitará ao governo enxugar a máquina pública sem demitir.

“Nos últimos anos, houve excesso de contratações. Os salários subiram ferozmente”, declarou o ministro, que foi convocado pela Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados para debater os impactos econômicos e financeiros da aprovação da proposta de reforma da Previdência.

De acordo com Guedes, o governo pretende investir na digitalização de processos e na diminuição da burocracia para manter os serviços públicos com menos funcionários. “Nas nossas contas, 40% dos funcionários públicos devem se aposentar nos próximos cinco anos. Não precisa demitir. Basta desacelerar as entradas que esse excesso vai embora naturalmente. Vamos ficar sem contratar por um tempo e vamos informatizar”, disse.

O ministro destacou algumas medidas tomadas recentemente para desburocratizar os serviços públicos, como a simplificação da abertura de empresas. Guedes acrescentou que a metodologia será estendida a outros serviços, mas não deu mais detalhes.

O projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020 não prevê a realização de concursos públicos. Neste mês, entrou em vigor a nova regra para os pedidos de concursos públicos no Poder Executivo. Os pedidos dos órgãos públicos para realização de concursos terão a análise centralizada no Ministério da Economia, que pretende conceder autorizações apenas em casos excepcionais.

Com informações da Agência Brasil.