Volta Redonda Notícias

Witzel nomeia condenada em esquema que levou Garotinho à prisão

O Governador do rio de Janeiro, nomeou nesta terça-feira(21) uma das condenadas na Operação Chequinho, ocasião em que o ex-governador Garotinho, foi preso. Trata-se de Roberta Moura, e ela assumirá a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Relações Internacionais. O cargo é estratégico e de confiança do Governo do Estado.

Roberta Moura teria participado da equipe de transição do governador. A condenação de Roberta foi dias antes da nomeação efetuada por Witzel.

A Operação Chequinho desmontou esquema de uso ilícito do programa social de redistribuição de renda Cheque Cidadão, da Prefeitura de Campos, para supostamente angariar votos para o grupo político do ex-governador Anthony Garotinho nas eleições de 2016.

Uma das bandeiras para ganhar a eleição utilizada e defendida por Wilson Witzel foi o combate à corrupção.

Governador do Rio mentiu sobre ter estudado em Harvard

O governador eleito do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), anuncia secretários em entrevista coletiva sobre a transição do governo, na Fecomércio.

Oex-juiz federal e governador do Rio, Wilson Witzel, tem, pelo menos, sete cursos em seu histórico acadêmico. No currículo Lattes –  plataforma em que profissionais listam seus feitos ao longo da carreira -, ele enumera cursos de graduação e de pós em várias universidades. Uma passagem pela prestigiada Harvard é um dos pontos altos: lá, Witzel teria feito um curso conhecido como “sanduíche”, quando o aluno faz parte do doutorado numa instituição de ensino internacional parceira da universidade em que estuda.

No caso do governador, um pedaço da pós-graduação em “judicialização da política” que ele cumpre na Universidade Federal Fluminense, desde 2015, teria sido feito no campus de Cambridge, no estado de Massachusetts, nos EUA. Mas, o problema é que isso nunca aconteceu. A UFF informou ao GLOBO que o governador nunca sequer manifestou interesse em participar da seleção. Apenas dois alunos matriculados na mesma pós-graduação de Witzel foram para lá. É preciso se candidatar e passar por pelo crivo da universidade para obter a bolsa, que é financiada pelo governo brasileiro.

Procurado, Witzel confirmou que não estudou em Harvard. A informação, segundo a sua assessoria de imprensa, constava na plataforma Lattes porque o governador tinha a intenção de estudar na universidade americana durante um ano quando ainda era juiz federal, mas o objetivo nunca foi à frente. Curiosamente, o governador cita, inclusive, o nome de seu orientador na universidade dos EUA, o professor Mark Tushnet. Agora, o governador prometeu corrigir o currículo e acrescentou que pretende fazer a defesa de sua tese, na UFF,  até agosto deste ano. A última edição do currículo do governador foi feita no dia 8 de abril de 2016, um ano após ele ter ingressado no doutorado. De acordo com a universidade, as inscrições para o “sanduíche” em Harvard estiveram abertas entre 2015 e 2018.

Para concluir a pós-gradução, Witzel terá que correr contra o tempo para não ser jubilado. O governador tem até o dia 31 de agosto, segundo a Coordenação dos Programas de Pós-Graduação em Ciência Política, para receber o título de doutor, como adiantou a coluna de Ancelmo Gois. Até lá, precisa passar pelas bancas de qualificação e de defesa de tese, que, até o momento, permanecem sem datas agendadas.

A correria é porque os estudantes da UFF têm 48 meses (quatro anos) para concluir o doutorado, tempo que, para Witzel, se esgotou em fevereiro. Excepcionalmente, é possível obter um prazo maior de 180 dias, o que foi concedido pela UFF a pedido do governador.  A extensão eventual do período não configura uma vantagem e pode ser requisitada por qualquer aluno.

Governador Wilson Witzel visita as áreas afetadas em Barra Mansa

O Governador Wilson Witzel, chegou na tarde deste domingo(19) no Parque da Cidade, em Barra Mansa, onde se encontrou com o prefeito Municipal Rodrigo Drable para sobrevoar as áreas afetadas pelas chuvas nos últimos dois dias.

Neste momento ele está visitando os locais afetados pela chuva em Barra Mansa

Veja os vídeos abaixo com o momento do encontro dos dois políticos:

Uma Derrota Para o Povo de Deus

(Pastor Joel com seu pai, Ozeni)

No dia 22 de Janeiro de 2019, o Mistério Público do Rio ajuizou uma ação de
improbidade administrativa para apurar a ocorrência de um ato de improbidade
administrativa praticado na Alerj por três cidadãos de Volta Redonda, consistente em
nomear um Pastor do Projeto Vida, Joel da Costa Pereira, e seu pai, Ozeni Elias Pereira,
como assessores do deputado estadual Edson Albertassi, que está preso em Benfica.
Embora remunerados, eles nunca exerceram as funções dos cargos para os quais foram
contratados. Em seu depoimento à Promotoria de Justiça de Volta Redonda, Ozeni disse
que é semianalfabeto, e Joel declarou que às vezes fica na empresa de comunicação que
possui com o deputado.

(Pastor Joel com Edson Albertassi)

Preso em 19 de Setembro de 2017 na Operação Cadeia Velha, Albertassi é
acusado de favorecer empresários de ônibus nas votações da Alerj. O caso que ficou
conhecido como “Caixinha da Fetranspor” é um dos mais antigos esquemas de
corrupção do Estado. Albertassi dissimulou pagamentos mensais recebidos de 2012 até
2014 que somam mais de R$ 1,7 milhão. Para tanto, usou um falso contrato de
publicidade entre a Fetranspor e três rádios de sua família, incluindo a 88 FM. A
operação chegou a ser antecipada para evitar que ele assumisse uma vaga no TCE. No
dia 8 de novembro de 2018, um novo mandado de prisão preventiva contra ele foi
expedido pelo TRF da 2ª Região, no âmbito da Operação Furna da Onça. De acordo
com o MP, o parlamentar recebia mensalmente uma quantia de R$ 80 mil para que
votasse na Alerj de acordo com os interesses do grupo político comandado pelo ex-
governador Sérgio Cabral, tendo recebido ainda um “prêmio” de R$ 1 milhão.
Albertassi também tinha influência para nomeações em postos do Detran situados nos
municípios de Barra Mansa e Volta Redonda, para chefes de unidades, responsáveis
pelas vistorias, e também para assistentes. Funcionários indicados para os postos
atuavam em campanhas políticas do deputado, garantindo-lhe votações expressivas em
suas regiões de influência para nomeações. A Alerj discute sua cassação. Até lá, o
parlamentar continuará recebendo salário, e mesmo preso, seu gabinete seguirá
funcionando. De acordo com Albertassi, todos os patrocínios da Fetranspor às suas
rádios no interior do Estado não significam ocultação de propina, e sua defesa informou
que “As alegações finais do MPF desconsideram todas as provas colhidas, que
interpretam os fatos e insistem cegamente na condenação de um inocente”.

As nomeações de Joel e seu pai funcionavam como recompensa em troca de
apoio político do Projeto Vida. Trata-se do velho funcionário fantasma, com desvio de
verba pública a título de salário. Ozeni foi nomeado pela primeira vez em fevereiro de
2001, Joel começou a ser nomeado a partir de 2004, e ambos confirmaram que não
apareciam para trabalhar. Famoso em Volta Redonda, Joel foi homenageado em 2011
com a Medalha Getúlio Vargas do Mérito Legislativo, maior honraria do Município, e
em junho de 2017 foi indicado pelo vereador Laydson Cruz, do MDB, para a Medalha
Martinho Lutero, pela realização de trabalhos sociais e por promover o evangelismo na
região. Laydson Cruz é pré-candidato a deputado federal e vice-presidente do Projeto
Vida. No ano de 2001, quando Sérgio Cabral era presidente da Alerj, Albertassi foi
autor de um projeto que concedeu a Medalha Tiradentes ao pastor Joel, maior honraria
do governo do Estado, destinada a premiar pessoas que prestam serviços relevantes à
causa pública.

(Joel recebendo a medalha Martin Lutero)

Eis a justificativa do deputado:

“O Pr. Joel da Costa Pereira é merecedor desta honraria pela sua extensa folha
de serviços prestados à comunidade do Estado do Rio de Janeiro, principalmente na
região sul fluminense, onde atua como Pastor da Igreja Evangélica Projeto Vida,
desenvolvendo um trabalho espiritual com os jovens envolvidos com drogas,
prostituição, homossexualismo, levando-os ao conhecimento da verdade. Através deste
trabalho, temos hoje mais de 2000 jovens recuperados. O Pr. Joel também desenvolve
trabalho com crianças, através da Fundação Projeto Criança Viva, uma instituição sem
fins lucrativos, com o propósito de tirar crianças da rua a fim de orientá-las a um
crescimento de forma saudável e produtiva. Por estes e mais serviços prestados a nossa
comunidade, lhe fazemos esta homenagem.”

O Volta Redonda Notícias continua procurando, mas, ao que tudo indica, essa Fundação Projeto Criança Viva nunca existiu.

Ficou provado que os dois assessores de Albertassi nunca foram ao Rio de
Janeiro. O MP demonstrou, em sua investigação, que ambos teriam sido nomeados em
troca de apoio político da igreja, afirma que a conduta dos três gerou enriquecimento
ilícito, e estima que o prejuízo com os salários pagos aos dois servidores somam R$ 1,3
milhão. A Constituição de 88 prevê suspensão dos direitos políticos, perda da função
pública, indisponibilidade dos bens e ressarcimento do erário para os atos de
improbidade. O MP fala em multa civil, dano ao patrimônio estadual, e pede cinco
milhões e trezentos mil de indenização.

Procurados para prestar esclarecimentos, o pastor Joel e seu pai não foram encontrados.

É a corrupção e o despotismo prevalecendo sobre nossos sonhos e ideologias. O
laçar das ovelhas, o voto de cabresto, e o servidor fantasma ofendem os princípios da
moralidade. O Projeto Vida do pastor Joel, uma comunidade que começou em 1992
numa garagem, conta hoje com mais de 40 igrejas e funciona numa tenda para 2500
pessoas.

Como os cristãos deveriam abordar a política nos dias atuais?

No Santo Império Romano a Realeza se dobrava diante do Papa, mas ao invés
do senhorio de Cristo sobre a nação, promovia a corrupção, a incompetência e a tirania
eclesiástica, além de muitos outros sintomas das sociedades que adoecem quando
dominadas por homens que se valem do nome de Cristo para fins escusos em vez de se
tornarem instrumentos da sua vontade. Parte da ala radical da Reforma Protestante
defende que devemos nos excluir de todo e qualquer tipo de envolvimento político.
Com isso, relegam a condução de nossos destinos aos corruptos que se embriagam com
a sedução do poder, quando deveríamos lutar por um país mais justo, socialmente mais
digno e com menos corrupção. Para os Anabatistas, os cristãos foram chamados por
Cristo para transformar a cultura. Calvino afirmava que, embora a humanidade esteja
corrompida em função de sua natureza decaída, deveríamos trabalhar para transformar
os pilares da sociedade, trazendo-a o mais próximo possível para os padrões de Jesus.
Para ele, a igreja precisa ter o poder acima do governo, e os políticos deviam se dobrar
diante dos apóstolos. A Teologia da Libertação, que mistura teologia com política, vê a
democracia liberal e a justiça como um cumprimento daquilo que Cristo ensinou. O
problema com essa abordagem é que com o tempo a fé vai dando lugar às reformas
sociais, que se tornam mais importantes do que as mudanças interiores apregoadas por
Cristo. Justiça social sem justiça interior é impossível. Lutero dizia que há dois tipos de
reino na Terra: Cristo e o reino do mundo. Cada um teria a sua esfera de autoridade, e
estaríamos sujeitos a ambos.

No caso do Pastor Joel, percebe-se que os deveres de honestidade,
imparcialidade, lealdade e legalidade ficaram apenas no discurso. Para Lutero, algumas
vezes o governo pediria aos cristãos para que agissem contra sua lei moral, trazendo os
dois reinos para um conflito. Esse é o mesmo pecado cometido por muitos cristãos nos
nossos dias, quando defendem todos os desmandos do governo, simplesmente porque
acreditam que se alguém foi investido de autoridade por Deus, então devemos
obediência cega a quem quer que seja.

Nosso povo precisa acordar. Vamos orar muito, mas também agir. O Volta
Redonda Notícias espera que nossos eleitores tenham mais consciência espiritual nas
próximas eleições, que deixem para trás o comportamento subserviente, que protestem
contra a corrupção de quem quer que seja, que lutem para que todo aquele que alcance
um posto de liderança seja um modelo de integridade e justiça, e que, sobretudo, não
esteja acima da Lei.

 

http://alerjln1.alerj.rj.gov.br/scpro99.nsf/b87370a209a49958832567040007d037/83107
0427b21068f03256a24005ceb5b?OpenDocument
Texto do projeto de resolução de 2001 que concede a Medalha Tiradentes ao pastor
Joel.

https://www.facebook.com/joelpereira12/videos/742816102456506/?t=3
Vídeo de 2014 em que Joel aprece pedindo voto para Albertassi.

Polícia Militar já está autorizada a executar criminosos de fuzis no RJ

A fala foi do Governador Wilson Witzel, durante uma entrevista ao Jornal da Band. Segundo ele, as polícias do Estado do Rio já estão autorizados a abater bandidos portando fuzis.

“Quem está ali, de fuzil, está para usar aquele armamento de forma imediata. Quando a o policial grita solta, ele  vai soltar um dedo no gatilho” afirmou o Governador. Ele também afirma que o respaldo está na legítima defesa, uma vez que com este armamento, o bandido está querendo guerra.