Volta Redonda Notícias

Witzel negocia com Bolsonaro apoio para projeto que enquadra traficantes como terroristas

RJ – WILSON WITZEL/POSSE/GOVERNO/RIO DE JANEIRO – POLÍTICA – O governador eleito pelo Rio de Janeiro, Wilson Witzel, é empossado em cerimônia no Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, na manhã desta terça-feira, 1º. 01/01/2019 – Foto: MAGALHÃES JR./PHOTOPRESS/PAGOS

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, disse nesta terça-feira, 1º, que tem conversado com o presidente Jair Bolsonaro para que o governo apoie um projeto que enquadre traficantes como terroristas e, assim, eles possam ser abatidos se estiverem portando fuzis.

“Vamos retirar o poder do tráfico de drogas e eu espero que o Congresso Nacional aprove uma lei antiterrorismo que enquadre os traficantes como terroristas, para que eles possam ser abatidos de fuzil e, de vez, possamos encerrar essa polêmica. Já falei (com o presidente Bolsonaro) e estamos trabalhando nesse assunto. Ele deve encaminhar (a proposta) para o Congresso Nacional e a gente vai apoiar”, disse.

Witzel falou à imprensa após acompanhar a posse presidencial no Congresso Nacional. Ele disse ainda que outra prioridade do seu governo será o combate à lavagem de dinheiro. “Nós vamos focar no trabalho investigativo da lavagem de dinheiro e também na questão dos homicídios”, complementou.

Novo governador do Rio corta 30% das despesas das repartições públicas

O governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, fala à imprensa durante diplomação pelo Tribunal Regional Eleitoral, em cerimônia na Escola da Magistratura, no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

O governador recém-empossado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, publicou hoje (1º), no Diário Oficial do estado, decreto que determina o corte de pelo menos 30% nas despesas operacionais de secretarias, fundações e outros órgãos da administração estadual. O decreto cria o Programa de Reavaliação de Despesas Operacionais.

A redução, no entanto, não afetará as secretarias de Educação, de Saúde, de Administração Penitenciária, de Polícia Civil, de Polícia Militar e de Defesa Civil e Corpo de Bombeiros, além de instituições que exercem funções essenciais à Justiça.

Segundo o decreto, a decisão de realizar os cortes foi tomada para “imprimir eficiência e moralidade ao planejamento governamental em 2019” e adotar “procedimentos atinentes ao contingenciamento de despesas diretamente relacionadas com a otimização dos gastos públicos”.

São consideradas despesas operacionais o somatório das despesas de pessoal caracterizadas como discricionárias e do valor correspondente às prestações ainda não cumpridas de cada contrato que esteja em vigor, bem como das contratações em curso.

.
.
.
.
.
.
Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/voltaredondanoticias/

Sugestão de matérias, divulgação de atividade policial ou denúncias para o VRN? Envie para o ZAP 024999176564 ou para o email voltaredondanoticias@gmail.com

Prefeito de Colatina-ES usa dinheiro do Carnaval para melhorar educação e saúde

O prefeito de Colatina, município do Espírito Santo, vem ganhando o apoio da população, após postar vídeo no Facebook anunciando que esse ano não vai liberar verba para o Carnaval da cidade. O dinheiro será redirecionado para a saúde e educação.

Sérgio Meneguelli explica que a situação dos postos de saúde ainda é precária. É preciso que todos os esforços sejam concentrados em reverter esse quadro, para que nos próximos anos a festa possa voltar. “A nossa saúde e nossa educação estão exigindo, neste momento, um tratamento especial. Para que façamos um carnaval como foi no ano passado, eu teria que gastar de R$ 180 a R$ 200 mil e seria uma irresponsabilidade minha usar este dinheiro para fazer desfile de escola de samba, quando em nossos postos, às vezes, faltam material de limpeza”, declara.

O prefeito se desculpou com a população. Ele reconhece a grande importância que a cultura tem para uma sociedade, mas nesse momento a prioridade é outra.”Certos momentos da vida chegam a ser irônicos. Eu incentivei a retomada do carnaval nessa cidade, em 2009 e, quando chega 2018, eu preciso vir a público para dizer que está difícil fazer carnaval hoje”.

Lei do fim das vistorias do Dentran-RJ é sancionada pelo Governador

O governador em exercício Francisco Dornelles sancionou a lei que acaba com a vistoria de veículos no Detran.

O ato de sanção aconteceu na tarde desta quinta-feira (27).

A medida entra em vigor imediatamente, mas não exime o motorista de pagar as taxas de licenciamento.

a Lei troca a vistoria Por uma autodeclaração, que será feita pelo dono do carro no site do próprio Detran.

“O Rio de Janeiro era o único estado do país a exigir a vistoria presencial. Com o fim da vistoria nos postos, o Detran terá de organizar a fiscalização nas ruas e criar o sistema pelo qual será feita a autodeclaração e, posteriormente, a entrega do CRLV”, afirma o deputado Luiz Paulo (PSDB), que assina o texto com Gilberto Palmares (PT) e Zaqueu Teixeira (PSD).

As vistorias continuam sendo obrigatórias para veículos de transporte escolar, de cargas, de transporte coletivo de passageiros e o veículo rodoviário de passageiros, de acordo com a Lei Federal n° 9.503, de 23 de setembro de 1997, Código de Trânsito Brasileiro – CTB.

Sérgio Cabral negocia delação premiada que envolve Judiciário, Copa e Olimpíadas

De acordo com informações da coluna de Lauro Jardim, o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, deu uma procuração para o seu novo advogado, João Bernardo Kappen, negociar sua delação premiada com o Ministério Público Federal no Rio de Janeiro e com a PGR.

Kappen já começou a conversar, ainda em estágio inicial, com autoridades ligadas à Lava-Jato no Rio.

Parece que Cabral tem muito o que dizer. Sua delação deve inclui o Judiciário — tanto o Tribunal de Justiça do Rio quanto o STJ — ex-chefes do MP fluminense.

Ele deve entregar também as jogadas nebulosas da Copa do Mundo e da compra de votos para a Olimpíada de 2016, além de detalhamentos de fatos já narrados em outras colaborações.

Cabral foi condenado até agora a 197 anos de prisão. Ele sempre negou ter recebido propinas. Admitia, no máximo, ter usado sobras de campanha para seus luxos.